Será que me mentes?



Antes de começar com os exemplos, este prefácio, serve apenas para ter em conta, que nem sempre qualquer um dos exemplos a seguir, signifiquem 100% a veracidade, apenas consta que na maioria das vezes é um(a) mentiroso/a ou está a mentir. Em si, foi um estudo que desenvolvi por volta de 2014, em psicologia, com recursos a estudos de universidades como Harvard, Cambridge, Oxford e alguns outros estudos similares em cursos e-learning por parte da edX e as suas parcerias.

Vamos a isso...
  • Geralmente começam por dizer que não mentem.
  • O padrão da fala, seja ela rápida, lenta, alta ou baixa, raramente altera, apenas altera se estiver a mentir. Isto porque o cérebro entra em processo de criação/imaginação. Exemplo: Perguntarem ou serem confrontados com alguma coisa, mesmo ouvindo e sendo capazes de entender a pergunta, perguntarem 'o quê?', essa pausa é o tempo que o cérebro precisa para encontrar uma resposta.
  • Desviar o olhar, falar com muitas justificações, mexer as mãos e pés de forma mais frenética ou mexida, mudar o tom de voz, entre mais sintomas, indicam que se trata de um mentiroso. O corpo é mais fiel à verdade do que a fala, visto ser criada pelo consciente, mas os sinais do corpo são provocados pelo inconsciente e a pessoa não consegue controlar.
  • O cérebro não aceita a negação, é como dizer "não penses em verde" e a pessoa pensa na cor verde (um pouco como as crianças, não faças isto e é a primeira coisa a ser feita), a mentira é uma negação à verdade que manifesta diversas alterações fisiológicas.

Pontos mais fulcrais:
  • Desviar o olhar - Se a pessoa mente, geralmente evita o contacto ocular, com a naturalidade habitual.
  • Olhar muito fixamente - Os que sabem que desviar o olhar é visto como sinal de mentira, procuram encontrar um ponto fixo de forma a permitir os "olhos nos olhos" na outra pessoa. As pessoas verdadeiras tentam transmitir a verdade, as mentirosas precisam de convencer o outro a acreditar na história criada.
  • Piscar - Tendem a dar piscadelas/piscar os olhos de forma mais longa, é um efeito inconsciente, o cérebro tem uma atitude de recusa ao que a pessoa está a dizer e a afirmar, provocando um piscar de olhos onde permanecem fechados por mais tempo do que o habitual.
  • Voz - O tom da voz perde o seu tom habitual ou a sua congruência, não fica firme, pode ficar trémula, cortada e sem fluidez.
  • Mãos - Quando o organismo entra num estado de alerta, por nervoso ou ansiedade, a temperatura periférica tende a cair. Por isso quando uma pessoa está a mentir pode ficar com as mãos e pés gelados, como podem ficar trémulas e agitadas.
  • Pele - O nervosismo causado pelo acto da mentira pode alterar a cor e aparência da pele. Normalmente mais vermelha ou mais pálida. 
  • Fala - Quem mente geralmente tem mais rodeios e mais justificações, fala demais. O que acaba por dar uma grande história, como uma grande mentira.
  • Pausas - A conversa até pode estar a fluir, mas de repente o assunto que ouve, inicia várias pausas na fala, o que leva a que o cérebro esteja a criar as próximas informações, bem como próximas mentiras.
  • Mãos nos bolsos -  Geralmente significa esconder algo, que está fechada a dar ou receber informações. Se as palmas das mãos estiverem abertas e viradas para a pessoa com quem se fala, podem indicar um sentimento mais tranquilo e confortável, em relação ao assunto da conversa.
  • Olhar para o lado esquerdo - Para as pessoas destras, o lado esquerdo é o da criação, logo então, move os olhos para a esquerda quando mente ou está a mentir, ou está com a intenção de criar uma resposta/mentira.
  • Olhar para o lado direito - Não é indício de mentira. Antes da memória, se olhar, significa que vai buscar informações à memória.
  • Saliva - Se o corpo entrar em situação de stress, geralmente quando mente, o corpo pára de produzir saliva e a pessoa começa a engolir a seco. Varia de acordo com o nervosismo e a tensão do mentiroso durante a fala, é normal que a boca fique seca.
  • Coçar-se - O cérebro recusa a história falada e provoca estímulos que podem levar a mão à boca, ouvidos e cabeça. É como se o cérebro quisesse colocar a mão na boca para a calar, por não querer dizer aquilo. 
  • Face - A fala e feição devem ser congruentes, quando não ocorre, algo está errado. Se conta algo que gosta, deverá demonstrar alegria nisso mesmo, se assim não for, deverá ser mentira.
  • Irritação - Quando se está prestes a ser descoberto, facilmente se irrita, independentemente da pergunta ou do que se diga, quase como se tudo fosse uma afronta, ou se estivesse a desconfiar dela.
  • Mudar de assunto - Tentará por tudo desviar de assunto, para não insistir na memória que ela contou, para que não corra o risco de meter os pés pelas mãos, sempre que se tentar tocar no assunto, irá repetir o mesmo e de seguida mudar para outro assunto.
  • Gesticular excessivo - Se começar a afirmar com a fala e a negar com a cabeça, movimentar-se muito, mexer-se, bater com os pés, andar de um lado para o outro, mexer no cabelo, transparece insegurança e vontade de acabar logo ali o assunto.
  • Manter distância - Desejo de evitarem falar presencialmente, e acabará por contar tudo através de mensagens, e fugir fisicamente ao assunto.
  • Várias desculpas - Mudar de versões, histórias, assuntos, como inventar desculpas para se desculpar.
  • Fazer-se de vítima - Reverter a história, como se fosse a vítima, fazer com que pareça que o outro é desconfiado, ou que não tem segurança, fazendo assim a verdadeira vítima sentir-se culpada e deixe o assunto de lado.
  • Coçar o nariz com as mãos ou dedos - Pode fazer enquanto a mentira é contada.
  • Solicitar a pergunta e responder com outra pergunta - Tentar dificultar ou confundir/difundir.
  • Levar objectos à boca - Como lápis, dedos, ou o que tiver à mão.
  • Ficar impaciente - Por não saber como escapar.
  • Cruzar de braços ou pernas - Demonstração de estar na defensiva, inconscientemente.
  • Morder os lábios - Sinal de nervosismo.
  • Levantar o ombro - Caso se esteja a mentir, ele pode subir, porque o cérebro não está a aceitar a mentira.
  • Passar ou coçar a mão no pescoço - Sinal de desconforto.
  • Se nos aproximar-mos, podemos influenciar a pessoa que mente a contar mais a verdade, visto que o cérebro está preocupado com a aproximação e não com a criação da mentira.
Bem é um resumo do estudo, que tal vos parece, já apanharam algum mentiroso?
Em si, conforme disse no prefácio, nem sempre corresponde a 100%, exemplificando, eu costumo utilizar as mãos dentro dos bolsos, por vezes até estou a conversar normalmente em passeio, não significa que esteja a mentir.

O que se pode evitar? Mentirem. Sejam sinceros, pode custar, no entanto é-se mais Homem e Mulher.




Comentários

Mensagens populares

Blogs Portugal

Marilyn Monroe - www.wook.pt A Questão Finkler - www.wook.pt