Vida Para Lá dos 20 e 30 (Amizades)

(Fotografia de Luís Costa (IG: @luiscostaphotography)


  • Após os 20 anos, o que geralmente pode acontecer, às amizades?
  • Após os 30 anos, o que geralmente pode acontecer, às amizades?


Serão possivelmente alguns dos pontos que alteram mais na vida, entre tantos outros altos e baixos, este será o foco do dia de hoje.

Quando se chega aos 20 anos, chega-se a uma fase de pré-adulto, ou poucos são os que de facto já amadureceram ou são adultos, no Cartão do Cidadão, por ventura sejam considerados adultos, para efeitos legais, ainda assim a mente e até o físico, estão aquém de tal, mas não é isso que mais importa, visto que o tópico são as "Amizades", o que começa a acontecer nestas idades?

Se no secundário, havia mil e um amigos, chega-se ao tempo de escolhas de faculdades/universidades, os que têm essas possibilidades e após época de exames, tem de se optar pelo que se pode (conforme média de 12º e nota de exames), como aquilo que se gosta e quer, portanto só aqui, a maioria varia, uns vão para medicina, outros psicologia, outros recursos humanos, outros desporto e por aí fora, apesar de se viver numa era de bastantes meios de comunicação, isso não significa que exista de facto "comunicação", e apesar de se ficar com contactos, nesta altura, muitos deles perdem-se, mesmo que o telemóvel os tenha guardado, as ditas 'amizades' perdem-se.


Algumas das razões e motivos que levam a terminar 'amizades':

  • Passam a conhecer novas pessoas;
  • Vão para outras cidades;
  • A falta de comunicação, afasta as pessoas;
  • Eventualmente já não têm a mesma utilidade que outrora tinham;
  • Afinal não eram propriamente amigos(as);
  • No processo de amadurecimento, deixam de se interessar nas mesmas coisas;
  • Quanto menos vezes estiverem juntos, menos surgem "oportunidades";
  • Entre outros.
Em si, o mais comum é mesmo perder-se algo que eventualmente nunca foi, o que antes acharia-se que eram amigos, afinal não passavam de conhecidos e colegas de turma ou de escola, portanto aquele gigante circulo, passa a um mais pequeno, independentemente dos que se vá conhecendo, até na faculdade/universidade, ou mesmo os que se conhece no trabalho, mas dificilmente se encontrará novos amigos, porque o que irá acontecer, será na mesma a criação de 'grupinhos', 'risos e sorrisos e palmadas nas costas', isto significa, que na primeira oportunidade, fazem uma rasteira, calcam, passam por cima, sobem às cavalitas para alcançar o que eles mesmo querem, portanto se até a essa altura, eram todos fantásticos, não queiram ver quando demonstram as verdadeiras cores.

A partir dos 30, apesar de ainda não ter chegado a essa fase, embora pouco falte, o que verifico, é que o grupo de amigos, é ainda mais reduzido, e isto, se sobrar alguém, no desenrolar das coisas, a maioria casa-se, ou junta-se, deixa de haver aquela convivência que existia outrora, constroem as suas raízes, como assim tem de ser, tornam-se de facto adultos e vivem as suas vidas e assim sucessivamente se continuar o raciocínio das idades, claro que a dada altura, alguns vão padecendo como seria natural do ser humano, somos finitos. 

  • Onde quero chegar, afinal de contas com este texto?

Bem mais simples, poderia ter começado por esta mera reflexão, contudo, uma reflexão deve ser sempre tomada com uma introdução, meio e um fim.
Aqueles que têm Amizades, sejam imperfeitas, tenham falhas, tenham defeitos, mas que sejam de facto Amizades, nem que seja pai com filho, irmão com irmã, um bom vizinho, amigos de infância, amigos que conheceram recentemente, se de facto não estão a manipular, a usar-vos dia sim, dia sim, aproveitem no bom sentido da palavra, porque pode durar um dia, pode durar um ano, pode durar uma vida, mas certamente valerá a pena essa Amizade, preservem o que vale a pena e deve-se dar valor ao que tem valor, porque depois para variar já é tarde.

Não somos imortais, o tempo não está parado, nem espera por ninguém, portanto zelem por aquilo que vale a pena e que vos faz bem.

Comentários

Mensagens populares

Blogs Portugal

Marilyn Monroe - www.wook.pt A Questão Finkler - www.wook.pt