Violência Doméstica, até quando?


Como começar um tema que continua a acontecer em 2019, como se fosse 1850...

Em termos factuais, ainda era previsto pela lei, estando eu a ser simpático em considerar 'lei', a mulher podia ser morta pelo marido, no acto de adultério, assim como no sentido macabro os filhos podiam ser espancados/queimados pelo mesmo progenitor, conforme lhe desse na tampa, isto é um passado assim não tão distante. O mesmo (queimar/espancar) acontecia para as mães aos filhos.

Felizmente, em termos legais sofreu várias alterações...

Infelizmente, passou a existir outras vias, visto que em teoria não se poder matar (embora aconteça), passou para outro nível, para a violência doméstica, tanto homem bate na mulher, como também há casos de mulheres que batem em homens, aqui não é uma questão de sexos, é mesmo uma questão lamentável que acontece, mas iremos usar o exemplo bárbaro de um homem bater numa mulher, independentemente dos problemas, se é adultera, se fez mil e uma coisas erradas, não é, nem pode ser, motivo para bater, nem que exista vontade de dar um simples estalo, a violência, seja de que grau for, não trará benefício algum, já não é como também antigamente, levar uma reguada que eventualmente o aluno iria aprender melhor (o que por si, já é ridículo).

Nota:
Antes de culminar ao tema principal, atentar também para as várias campanhas que surgem e desaparecem assim repentinamente, assim como diversos movimentos, não acreditem em tudo quanto vos vendem, a maioria é apenas e exclusivamente Marketing, para ganharem o seu, e o seu umbigo inchar, não é de todo para ajudar A ou B, apenas a quem "inventa" e fundou, por outras palavras, há demasiados movimentos feministas, que em nada, apoiam as mulheres, ou estão sequer preocupados(as) em equidade entre Homem e Mulher, assim como outros movimentos para incentivar a deixar de haver violência, sendo eles também causadores de violência ou incitação. Isto serve, apenas para estarem atentos(as), não se associem a tudo quanto aparece.


Voltando ao tema principal, lembrem-se que na violência doméstica, pode ser alargada a 'casais' com filhos, o que torna o tema, mais abrangente, e onde quem sofre, não é somente o adulto, mas também o menor, quer no instante ou instantes, quer a longo prazo, para a sua vida, numa fase onde ainda se estão a moldar e a criar a sua personalidade, isto em si, é grave, muitos passam a conviver com violência doméstica, como algo banal e normal ou habitual, o que mais tarde, podem fazer igual (como não), há uma forte lacuna de ensino de valores, e cada vez mais, há crianças que servem somente para serem mais uma fonte de rendimento desses agressores, e que nos instantes de terem de dizer a verdade são coagidos a "louvar" ou mentir que o pai ou a mãe, são bons, quando não o são.

Seria de bom grado, criarem departamentos jurídicos para menores, porque apesar de até aos 16 anos+, não terem os deveres todos como cidadãos, deveriam ter pelo menos os direitos que os adultos têm.

Culminando sobre o tema da Violência Doméstica, não bastam os movimentos, se souberem ou suspeitarem de situações destas, contactem a polícia, na maioria das vezes, quem sofre, não tem como dizer o que lhe acontece, seja por medo, seja por levar mais, seja por outro motivo, mas não se façam de surdos, façam o vosso papel como cidadão e cidadã, e tenham amor ao próximo.


Até quando continuará a suceder?

Um Bem-Haja,
Luís Costa



Comentários

Mensagens populares

Blogs Portugal