Verdades de Portugal + Sociedade (não será agradável a leitura) parte 2


Continuemos de onde se parou, para quem ainda não leu a parte 1, é recomendável poder ler, para fazer algum sentido.

A continuação da Comunicação Social, de 2018, comecemos por mencionar o canal protagonista de muito do que se passa hoje em dia, o que antes era apenas um pasquim chamado Correio da Manhã, actualmente também é um canal CMTV, com a mesma metodologia, ser sensacionalista, o que no código de ética do jornalismo, está em pleno incumprimento desde a formação da empresa e sociedade, que pertence em si, há Cofina, detentora de tantos outros pasquins, como Metro, Destak, Record, Jornal de Negócios, Mundo Universitário, que em si, em termos jornalísticos, tem demasiado a desejar, visto que em especial o Correio da Manhã e o Record, são más fontes de informação, onde são geridos por pessoas ligadas directa ou indirectamente a um clube de futebol, o que significa que as informações sofrem na sua veracidade, e o que lhes interessa é que é publicado, portanto informar o espectador é o mínimo dos seus interesses, o importante é o que o Big Boss, terá para informar ou intoxicar, para todas as restantes redes de comunicação absorverem e também utilizarem, chamando a isto 'jornalismo', coisa que não é.

Um dos deveres do jornalismo, ou assim deveria de ser, é informar o ouvinte, o telespectador, o seu leitor, de informação fidedigna, de lhes prestar um bom serviço, assim como de investigar antes de poder afirmar o que quer que seja, e investigar hoje em dia, é interessante no tempo de defesas de tese, ou seja enquanto estudam, depois deixa de ser fundamental, porque passam, isto os que passam, para um mundo onde há correctores, há lápis vermelhos, há tudo, menos liberdade para informar ou para pesquisar, por vezes a fonte basta ser o Wikipédia, o que já referi anteriormente, que é uma das piores fontes de informação, isto se quiserem que seja genuína, se não quiserem, bom proveito no Wikipédia, assim sendo, se o básico for corrompido, como pode qualquer iniciante de jornalista singrar? A melhor hipótese, se se quer manter isento e imparcial, seria formar o seu próprio jornal, empresa, ou canal televisivo, o que é quase impossível em Portugal, acontecer, há demasiados lobbies, e demasiados interesses, demasiados telhados de vidro, como também ainda é predominante a maçonaria.

Portanto, uma boa forma de acabar, seria partir do governo uma mudança, contudo, seja direita, seja esquerda, ou os restantes partidos, têm todos interesses, não relativamente para a sua população, mas próprios, e a maioria chegou ao poder, através de muita comunicação social, maçonaria, entre outros telhados de vidro, o que dificulta a mudança vir de cima, e se vier de baixo? Isso poderia funcionar, mas a população e a sociedade, ainda nem se sabe como se conseguiu unir para o 25 de Abril, o que fará hoje em dia, onde consomem tudo quanto lhes vendem, acreditam em tudo o que lêem, e se perguntarem qual é a fonte, dizem que viram na televisão ou leram na internet o que torna complicado mudar paradigmas ou dizer-lhes "já pensaram por vocês mesmos hoje?".


Comentários

Mensagens populares

Blogs Portugal